A experiência da água e a bola

A gravidade é a atração entre objetos ou corpos massivos. Quanto mais massivo, um objeto é, mais atração gravitacional ele vai ter em relação a outro corpo. A forma do objeto praticamente não afeta a magnitude da atração, desde que os objetos estejam espaçados o suficiente.

Terraplanistas gostam de realizar o “experimento” da bola e a água. Eles borrifam água em uma bola e observam se a água não gruda na bola da mesma maneira que a água do mar permanece na superfície da Terra. Eles concluiriam que “a gravidade não existe”. Obviamente, eles errados. A forma esférica da Terra (e a bola) não existem por causa da gravidade.

Eles usaram uma bola como modelo da Terra porque não entendem como a gravidade funciona. A Terra e a bola são ambas esféricas, mas a forma esférica não causa gravidade. Sua hipótese está incorreta. A força da gravidade não vem da forma esférica, mas da massa dos objetos envolvidos. Neste caso, a massa da Terra é muito maior que a da bola. Assim, a água é atraída mais para a Terra do que para a bola.

Na verdade, é o contrário: a forma esférica da Terra é o resultado da gravidade. Se um objeto celeste é suficientemente grande, ele tenderá a ser esférico.

E se eles estão levando isso a sério, eles pelo menos tentariam de alguma forma controlar a gravidade da Terra real, de modo que isso não afetaria o resultado do experimento. Uma maneira de fazer isso é realizar o experimento em queda livre, como em um plano zero-g.

Do modo como o “experimento” é feito atualmente, tudo o que podemos concluir é que a forma esférica não é a fonte da gravidade. E nós já sabemos disso.

Referências