A rota de vôo Sydney-Santiago: uma rota impossível no modelo da Terra plana

Podemos usar a duração de uma rota de voo para determinar de uma forma aproximada a distância entre dois locais. Então, podemos usar isso para determinar qual modelo representa melhor a realidade: o modelo da Terra plana ou o modelo esférico da Terra.

No modelo da Terra plana, as distâncias entre dois locais tornam-se mais irracionais à medida que avançamos para o sul. Para ilustrar isso, podemos usar a rota de voo de Sydney-Santiago para nos ajudar com os cálculos. Esta é uma das rotas de voo mais a sul.

De acordo com o chamado mapa da Terra plana, a rota de voo de Sydney-Santiago deve atravessar os Estados Unidos. Podemos agora tentar comparar a duração de um voo sem interrupções de Sydney-Santiago para o mesmo voo, mas com uma parada nos Estados Unidos.

  • Sydney-Santiago: 12h 40m. Santiago-Sydney: 14h 5m. Média: 13h 22m
  • Sydney-Los Angeles: 13h 50m. Los Angeles-Sydney: 15h 0m. Média: 14h 25m
  • Los Angeles-Santiago: 10h 45m. Santiago-Los Angeles: 11h 25m. Média: 11h 5m

(dados obtidos pelo Google Flights)

A duração do voo contínuo de Sydney-Santiago é de 13 horas e 22 minutos. Mas o mesmo voo com escala em Los Angeles é de 25 horas e 30 minutos, ou quase o dobro da duração.

Se o modelo da Terra plana estiver correto, então ambos os vôos devem ter uma duração semelhante, e certamente não seria duas vezes mais longa só porque você faz uma parada em uma cidade muito próxima da rota de vôo.

A verdadeira razão é que o voo não passa pelos Estados Unidos. Isso acontece porque a Terra é esférica e o vôo atravessa o sul do Oceano Pacífico, que é a rota do grande círculo entre Sydney e Santiago.

Se um passageiro decidir fazer o mesmo vôo com uma parada em Los Angeles, fará um grande desvio, e a viagem será quase duas vezes mais longa que o vôo sem escalas.

Números de voo

Os números de voo correspondentes e links para o FlightAware.

Referências