Cruzeiro do Sul

Featured Video Play Icon

O Cruzeiro do Sul ou Crux pode ser observada a partir do sul em 26°N, e é sempre visível ao sul em 26°S. Em uma Terra plana, ela deve ser visível das partes externas da Terra ao mesmo tempo, mas não das áreas centrais, refutando o modelo da Terra plana. A visibilidade do Cruzeiro do Sul é apenas consistente com o modelo esférico da Terra. Continue lendo “Cruzeiro do Sul”

Sol da meia-noite em ambas as regiões polares: prova de que a Terra é esférica

Featured Video Play Icon

O sol da meia-noite é um fenômeno natural, ocorre quando o Sol permanece visível à meia-noite. Esse fenômeno ocorre nos meses de verão no norte do Círculo Ártico e ao sul do Círculo Antártico.

O movimento aparente do Sol nas duas regiões polares é diferente. Na região polar norte, o Sol se move da esquerda para a direita. Por outro lado, na Antártica, o Sol se move da direita para a esquerda. Não é difícil imaginar que todos residimos em um globo. Não há outra explicação senão que a Terra é esférica. Continue lendo “Sol da meia-noite em ambas as regiões polares: prova de que a Terra é esférica”

Estrelas no céu do sul: evidências de que a Terra é esférica

Featured Video Play Icon

Se olharmos para o sul em qualquer local do hemisfério sul, veremos o mesmo conjunto de estrelas. As estrelas são vistas girando em torno do pólo celeste sul, na constelação de Octans, perto da estrela Sigma Octantis.

Esse fenômeno nunca pode ser explicado no modelo da Terra plana. Observando o chamado “mapa da Terra plana”, deveríamos ver outro conjunto de estrelas em um local diferente no hemisfério sul. A razão é que o modelo da Terra plana é uma representação falsa da Terra. Continue lendo “Estrelas no céu do sul: evidências de que a Terra é esférica”

Stellarium

Alguns Terraplanistas gostam de observar os fenômenos celestes e as posições dos corpos celestes. Às vezes, eles insistem que tais eventos não podem acontecer se a Terra for esférica e orbitar o Sol e tiraram a conclusão errada de que a Terra deve ser plana.

Podemos tentar perguntar a eles a hora da ocorrência e a posição do observador e, em seguida, usar o Stellarium ou aplicativos similares para simulá-lo. Se o resultado corresponder à observação, eles não terão do que reclamar. A confusão deles foi apenas o resultado de sua ignorância. Continue lendo “Stellarium”

Os raios solares são praticamente paralelos, mas não perfeitamente paralelos

O Sol emite raios solares em todas as direções. Mas como o Sol está muito longe, os raios solares que chegam até nós são praticamente paralelos. Para um observador na Terra, os raios de luz vindos do Sol formam um ângulo máximo de cerca de 0,53 °. Eles são praticamente paralelos, mas não perfeitamente paralelos.

Os Terraplanistas costumam questionar o fato de dizermos que os raios solares são paralelos, mas em qualquer diagrama de um eclipse, eles são desenhados em ângulo. Eles meramente confundem praticidade com perfeição. Os raios solares são praticamente paralelos, mas não são perfeitamente paralelos. Continue lendo “Os raios solares são praticamente paralelos, mas não perfeitamente paralelos”

Altitude da estrela Polaris a partir de vários locais na Terra

O ângulo (ou altitude) em relação a Polaris corresponde aproximadamente à latitude do observador. Esse fato é observado em todos os locais da Terra onde Polaris é visível.

Ao traçar o caminho para Polaris a partir de vários locais no modelo da Terra plana, as linhas não apontam para uma posição consistente para Polaris. A razão é que a Terra é uma esfera e o modelo da Terra plana não representa a realidade. Continue lendo “Altitude da estrela Polaris a partir de vários locais na Terra”

Ursa Maior

Featured Video Play Icon

A Ursa Maior é uma constelação brilhante na esfera celeste do norte. Ela é sempre visível a norte em 41°N e escondida a sul em 41°S. Os Terrraplainstas perceberam que a Ursa Maior é visível durante todo o ano e usam o fato para “provar” uma Terra plana. Na realidade, a visibilidade da Ursa Maior depende da latitude do observador. Continue lendo “Ursa Maior”

Geometria da Lua cheia

Algumas pessoas estão confusas com o fato da lua cheia ser visível a noite toda, e pensam que se a lua cheia é o resultado da oposição da lua sobre o sol, então a lua cheia deve ser visível apenas à meia-noite.

Os Terraplanistas que têm esse problema de visualização espacial dão um passo além e o usam como “evidência” de que a Terra não é uma esfera. Mas eles estão enganados. O fenômeno da lua cheia pode ser facilmente explicado no modelo esférico da Terra. Continue lendo “Geometria da Lua cheia”

A mudança nas constelações

Featured Video Play Icon

Não podemos observar estrelas se movendo em relação umas às outras, e a forma das constelações parece a mesma toda noite. A razão não é que as estrelas são estacionárias, mas seus movimentos são muito lentos e não podem ser observados durante a escala de tempo da vida humana.

Terraplanistas afirmam que as constelações de fato não parecem mudar como prova de que a Terra está parada. Mas eles estão enganados. As estrelas possuem um certo movimento, mas eles só podem ser observados usando instrumentos precisos por um longo tempo. As constelações mudam, mas a mudança é lenta e não pode ser percebida na escala de tempo da vida humana. Continue lendo “A mudança nas constelações”

Determinando a visibilidade de uma estrela a partir de sua declinação e a latitude do observador

Podemos determinar se uma estrela é visível a partir de uma localização específica usando a declinação da estrela e a latitude do observador, sujeito a outras condições como a topologia do observador, a magnitude da estrela, condições climáticas, etc. É possível fazer isso pois a Terra é esférica.

Se a Terra fosse plana, todas as estrelas deveriam ser visíveis a noite toda de qualquer lugar. Nós não vemos as mesmas estrelas todas as noites porque algumas delas estão abaixo do horizonte e são obscurecidas pela Terra. Continue lendo “Determinando a visibilidade de uma estrela a partir de sua declinação e a latitude do observador”

Luas de Galileu: prova de que é possível um satélite natural ou não, orbitar um planeta

Júpiter tem quatro grandes luas: Io, Europa, Ganimedes e Calisto. Elas são chamadas de luas de Galileu. Eles são fáceis de observar e foram as primeiras vistas orbitando um planeta diferente da Terra.

Mas os Terraplanistas frequentemente exigem provas de que é possível um corpo orbitar outro corpo. Tudo o que eles precisam fazer é usar um telescópio e observar Júpiter e suas luas. Continue lendo “Luas de Galileu: prova de que é possível um satélite natural ou não, orbitar um planeta”

Analema

Um analema é uma fotografia ou diagrama mostrando a posição do Sol no céu, visto de uma localização fixa na Terra no mesmo tempo solar médio, quando essa posição varia ao longo de um ano. O diagrama será semelhante ao da figura 8.

O componente norte-sul do analema resulta da mudança na declinação do Sol devido à inclinação do eixo de rotação da Terra. O componente leste-oeste resulta da taxa não uniforme de mudança da ascensão reta do Sol, controlada pelos efeitos combinados da inclinação axial da Terra e da excentricidade orbital. Continue lendo “Analema”

Estrelas circumpolares e não circumpolares

Uma estrela circumpolar é uma estrela, vista de uma determinada latitude na Terra, que nunca se põe abaixo do horizonte devido à sua proximidade aparente de um dos polos celestes. Estrelas circumpolares ficam lá no céu, mesmo durante o dia.

Os Terraplanistas afirmam que a Terra é estacionária porque as mesmas estrelas são sempre visíveis no céu. Mas eles estão errados. Apenas estrelas circumpolares estão sempre no céu. Há outros que não são circumpolares. Alguns só são visíveis durante certos períodos do ano. Continue lendo “Estrelas circumpolares e não circumpolares”

Cartas celestes e a precessão axial da Terra

Devido à precessão axial da Terra, as posições dos pólos celestes da Terra mudam gradualmente em um ciclo de aproximadamente 26.000 anos. Hoje em dia, Polaris está muito perto do pólo celeste norte. No entanto, 2000 anos atrás, Kochab era que estava muito mais próximo do pólo celeste do que Polaris. Nos próximos 2000 anos, Errai substituirá Polaris como estrela polar.

Os Terraplanistas afirmam que as estrelas estão sempre na mesma posição e que a Terra é estacionária. mas eles estão errados. Observando os antigos mapas estelares de alguns séculos atrás, a mudança de pólos celestes pode ser determinada. Isso prova que as estrelas nem sempre estão na mesma posição de hoje e que a Terra está girando. Continue lendo “Cartas celestes e a precessão axial da Terra”

A pirâmide de Gizé e a teoria da Correlação de Órion

A teoria da correlação de Giza-Orion é uma hipótese que defende a ideia de uma correlação entre o desenho do complexo da pirâmide de Gizé e a posição do cinturão de Orion durante no tempo em que as pirâmides foram construídas.

Alguns Terraplanistas usam a hipótese da correlação de Orion para provar que as estrelas nunca mudam. Mas estão errados. A teoria já explicava a mudança na posição das estrelas devido à precessão axial da Terra. A teoria foi formulada usando a posição do cinturão de Orion quando os egípcios construíram as pirâmides, não a posição atual das estrelas. Continue lendo “A pirâmide de Gizé e a teoria da Correlação de Órion”

Polaris não é estacionária no céu

Polaris é uma estrela brilhante próxima do pólo celeste norte. Atualmente, Polaris está a apenas 0,74° do pólo celeste norte e a única estrela visível a olho nu que fica perto do pólo celeste. É por isso que o Polaris é popular ponto de referência para navegação no hemisfério norte.

Alguns Terraplanistas acreditam que Polaris é estacionária e que é uma “estrela central” porque outras estrelas estão em movimento em torno dela. Eles tomaram isso como “evidência” de que a Terra está imóvel. Mas obviamente estão errados. Polaris é apenas uma estrela regular, assim como qualquer outra. Continue lendo “Polaris não é estacionária no céu”

O tamanho aparente da lua

O tamanho aparente da Lua permanece constante em um único dia. Isso só pode acontecer se a Lua estiver praticamente à mesma distância o dia todo.

No modelo da Terra plana, acredita-se que a Lua esteja se movendo em um círculo acima da Terra plana. Se a Terra fosse plana, o tamanho aparente da Lua variaria de tamanho em um dia. No entanto, na realidade, a Lua aparece no mesmo tamanho durante todo o dia e prova que o modelo da Terra plana não está de acordo com a realidade e que a Lua está muito mais distante do que eles acham. Continue lendo “O tamanho aparente da lua”

Eclipse solar total, representação em escala

Qualquer diagrama mostrando dois ou mais corpos celestes quase nunca é desenhado na escala correta. A razão é que na maioria dos casos, os dois corpos celestes são diferentes em relação aos seus tamanhos. Simplesmente não é possível desenhá-los na escala correta e ainda efetivamente descreve o que queremos explicar. Nós não temos muita escolha além de desenhá-los fora de escala.

Terraplanistas divulgam as alegações de que os diagramas foram desenhados não para serem dimensionados, e não por razões técnicas. Algumas pessoas não entendem isso e são vítimas da doutrinação da Terra plana. Continue lendo “Eclipse solar total, representação em escala”

Eclipse lunar total, representado em escala

Qualquer diagrama mostrando dois ou mais corpos celestes quase nunca é desenhado na escala correta. A razão é que na maioria dos casos, os dois corpos celestes são muito diferentes em relação a seus tamanhos. Simplesmente não é possível representa-los na escala correta e ainda efetivamente descreve o que queremos explicar. Nós não temos muita escolha além de representa-los fora de escalar.

Terraplanistas divulgam as alegações de que os diagramas foram desenhados para não serem dimensionados, e não por razões técnicas. Algumas pessoas não entendem isso e são vítimas da doutrinação da Terra plana. Continue lendo “Eclipse lunar total, representado em escala”

Espectro de Fraunhofer

A luz solar pode ser divididas em suas cores constituintes usando um prisma. As cores são o espectro óptico do sol. Elas são as mesmas cores em arco-íris. Na observando cuidadosamente, o espectro não é perfeitamente contínuo, mas tem linhas escuras espalhadas por todo o espectro. Descobriu-se que a partir dessas linhas, podemos dizer a composição do Sol sem fisicamente ir lá.

Alguns Terraplanistas acreditam que é impossível determinarmos a composição do Sol, pois é impossível alguém ir até o Sol sem ser assado no processo. Obviamente estão errados. A composição do Sol pode ser determinada a partir das linhas espectrais, ou mais especificamente para o Sol: Espectro de Fraunhofer. Continue lendo “Espectro de Fraunhofer”