Shill Gambit

O shill gambit é tipo de argumento onde alguém rejeita os argumentos de outra pessoa, afirmando que ela ou eles estão na folha de pagamento de alguma conspiração ou de fazerem parte do “sistema”, sem ter nenhuma outra evidência além dos próprios argumentos. O shill gambit é um tipo de argumento ad hominem. Onde a pessoa deixa de abordar o argumento em si para atacar a outra pessoa e sua credibilidade.

Terraplanistas normalmente cometem o shill gambit quando se sentem encurralados. Eles acusariam qualquer um de ser argumentar contra a Terra plana de ter sido pago pela conspiração global. Nós da TerraPlana.ws já recebemos isso. Continuar a ler “Shill Gambit”

A experiência da água e a bola

A gravidade é a atração entre objetos massivos. Isso quer dizer que quanto maior a massa, maior é a atração gravitacional. A gravidade não se resulta do formato do corpo ou objeto.

Terraplanistas amam realizar o “experimento da água na bola”. Eles jogam água em uma bola e observam que a água não gruda na bola da mesma forma que a água do oceano se curva sobre a superfície da Terra. Eles erroneamente concluiriam que “a gravidade não existe”. Mas a gravidade não tem nada haver com o formato esférico do objeto. Continuar a ler “A experiência da água e a bola”

Truque de Mágica feito por Richard Garriott na ISS

Featured Video Play Icon

Richard Garriott é um desenvolvedor e empreendedor no ramo de jogos e um mágico ávido. Em outubro de 2008, ele voou para a ISS a bordo de um foguete Soyuz como astronauta particular. Durante seu tempo na ISS, ele realizou vários truques de mágica.

Um de seus truques de mágica envolvia um martelo que flutua e uma carta que parece cair como se fosse puxada pela gravidade. Terraplanistas não sabiam que se tratava de um mero truque de mágica e erroneamente assumiram que isso demonstra que as coisas estão caindo na ISS, apesar de os outros objetos na cena flutuarem. Continuar a ler “Truque de Mágica feito por Richard Garriott na ISS”

O Solstício de Dezembro, Quando o Sol Ilumina uma Área Impossível de se Iluminar no Modelo da Terra Plana

O solstício de dezembro ocorre entre os dias 20 e 22 de dezembro, quando o Sol atinge sua excursão mais ao sul. Por volta dessa época, é inverno no hemisfério norte, enquanto é verão no hemisfério sul.

Se tentarmos reproduzir as áreas que estão sendo diurnas e noturnas no chamado “mapa da Terra plana”, o Sol parecerá iluminar uma área impossível de se iluminar nesse modelo, semelhante ao famoso simbolo de morcego do Batman. Isso nos diz que o “mapa da Terra plana” não está de acordo com o mundo real. Continuar a ler “O Solstício de Dezembro, Quando o Sol Ilumina uma Área Impossível de se Iluminar no Modelo da Terra Plana”

Luas de Galileu: os primeiros objetos vistos orbitando um outro objeto

Júpiter possui quatro grandes luas: Io, Europa, Ganimedes e Calisto. Elas são chamadas de luas de Galileu. Eles são fáceis de observar e foram os primeiros objetos encontrados em órbita de um planeta diferente da Terra.

Terraplanistas frequentemente exigem provas de que um objeto pode orbitar outro objeto. Tudo o que eles precisam fazer é usar um telescópio para observar Júpiter e suas luas. Continuar a ler “Luas de Galileu: os primeiros objetos vistos orbitando um outro objeto”

Observando a ISS através dos seus trânsitos

Os Terraplanistas negam a existência de satélites. Mas, estão errados. Para provar a existência de satélites, podemos tentar tirar fotos da ISS quando um trânsito da ISS acontece, ou quando a ISS passa em frente ao Sol ou a Lua.

Praticamente todos os satélites são pequenos e estão muito distantes. Tentar ver um satélite é como tentar encontrar um carro em São Paulo quando estamos acima de Ribeirão Preto. No entanto, o ISS é um satélite relativamente grande: é tão grande quanto um campo de futebol. A ISS é grande o suficiente e perto o suficiente para que possamos ver seus detalhes usando um telescópio ou uma câmera com zoom alto, como a P900. Continuar a ler “Observando a ISS através dos seus trânsitos”

Ponte Humber e a curvatura da Terra

A Ponte Humber, próxima  a Kingston upon Hull, na região leste de Yorkshire, na Inglaterra, é uma ponte suspensa de 2.22 quilômetros (1,38 milhas), que foi aberta ao tráfego em 24 de junho de 1981. Quando foi inaugurada, a ponte era a mais longa do mundo.

As torres, embora ambas verticais, estão 36 mm (1,4 polegadas) mais afastadas no topo do que na sua base, devido à curvatura da terra.

Referências

A teoria da conspiração sobre o tratado da Antártida

De acordo com os Terraplanistas, a forma da Terra é um círculo plano. No centro está o polo norte no Oceano Ártico e a Antártida não é um continente, mas sim um círculo de gelo ao redor da “Terra plana”.

O problema é que há pessoas que visitaram a Antártida e suas informações sobre a Antártida não se encaixam no que é dito pelos Terraplanistas. Para “lidar com o problema”, eles inventaram a teoria da conspiração e presumiram que todas as pessoas que afirmavam ter visitado a Antártida faziam parte da grande conspiração; e eles espalharam a informação para nos enganar. Dessa forma, o argumento dos Terraplanistas sobre a Antártida não é mais ‘falso’. Se algo está contra eles, a sua ‘solução’ é simplesmente adicionar mais pessoas à lista de pessoas que fazem parte da grande conspiração. Continuar a ler “A teoria da conspiração sobre o tratado da Antártida”

Sombras nas nuvens

Antes do nascer do Sol ou depois do pôr do Sol, o Sol está abaixo do horizonte e não é diretamente visível. Mas o céu e as nuvens acima são iluminados porque estão bem acima, e a luz do Sol pode alcançá-los.

Se há uma montanha entre o Sol e as nuvens, o Sol pode iluminar a montanha e projetar sua sombra sobre as nuvens. O modelo da Terra plana assume que o Sol está sempre bem acima, e assim, esse fenômeno não pode ocorrer em uma Terra plana. Continuar a ler “Sombras nas nuvens”

Uma garrafa com água: um objeto simples para observar o mergulho do horizonte

Em muitos vôos, é distribuído ‘ferramentas de nivelamento’ para todos os passageiros de graça, de modo que todos pudessem observar o mergulho do horizonte e provar que a Terra é uma esfera. E como uma boa maneira de saciar nossa sede, é claro!

Tais ferramentas são chamadas de “garrafas de água”. Usando esses simples “instrumentos” em um vôo, podemos demonstrar que a Terra é de fato uma esfera. Continuar a ler “Uma garrafa com água: um objeto simples para observar o mergulho do horizonte”

Terra Plana e a Falácia do Fato isolado

Terraplanistas muitas vezes cometem a falácia da “Generalização precipitada”. Eles tirariam uma conclusão com base em uma amostra limitada. Às vezes eles chegam a tirar a conclusão com base em um caso isolado, e isso se torna a falácia do “fato solitário”.

Além disso, eles escolheriam deliberadamente casos que apóiam sua posição e os usariam para refutar os outros casos que são contra sua posição. Continuar a ler “Terra Plana e a Falácia do Fato isolado”

Manutenção de uma estação orbital

Um satélite em uma órbita alta o suficiente pode permanecer operacional por um tempo muito longo, pois no espaço praticamente não há resistência do ar. Essa é uma situação que nunca ocorre em nossa vida cotidiana. Um carro requer um consumo constante de combustível para continuar funcionando, mas um satélite pode permanecer em movimento sem consumir qualquer combustível porque praticamente não há força para pará-lo.

Os Terraplanistas afirmam que os satélites não podem permanecer lá por muito tempo, porque “eles não são reabastecidos”. Mas obviamente eles estão errados. No espaço, praticamente não há arrasto, e os satélites só precisam consumir combustível para ajustar sua velocidade periodicamente. Continuar a ler “Manutenção de uma estação orbital”

Parélio

Um Parélio é um fenómeno óptico atmosférico que consiste num ponto brilhante separado por 22 ° do Sol para um ou ambos os lados do Sol. É causada pela refração da luz solar por cristais de gelo na atmosfera.

Os Terraplanistas afirmam que um parélio é causado pelo reflexo da luz do sol pela cúpula mítica que envolve a Terra plana, que existem múltiplos sóis ou outras razões igualmente implausíveis. Mas obviamente eles estão errados. Um parélio é simplesmente um fenômeno óptico que ocorre em locais frios, onde cristais de gelo podem se acumular na atmosfera.

Continuar a ler “Parélio”

Helicóptero e o Movimento Rotativo da Terra

Não podemos viajar para outro local pairando dentro de um helicóptero e esperar que a Terra gire abaixo de nós até que estejamos acima do nosso destino. A razão é o fenômeno da inércia.

Mas os Terraplanistas usam isso como “prova” de uma Terra imóvel. Mas obviamente eles estão errados. Quando no solo, o próprio helicóptero já está se movendo na mesma velocidade da superfície da Terra. Continuar a ler “Helicóptero e o Movimento Rotativo da Terra”

Caminho do sol

No hemisfério norte, o Sol parece se mover para a direita. No hemisfério sul, parece mover-se para a esquerda. Durante o nascer e o pôr do sol, o caminho do Sol forma um ângulo que corresponde aproximadamente à latitude do observador. Esse fenômeno ocorre porque os observadores nos diferentes locais da superfície da Terra não estão no mesmo plano. Continuar a ler “Caminho do sol”

A capacidade dos humanos de perceber velocidade e aceleração

Em um avião, não seremos capazes de sentir que o avião está, na verdade, voando a uma velocidade de mais de 900 km / h. Mas se o avião mudar sua velocidade, girar ou alterar sua altitude, podemos facilmente senti-lo.

A mesma coisa acontece com o movimento da Terra. Devido à rotação da Terra, a superfície da Terra está se movendo a 1656 km / h perto do equador. Nós nunca sentimos isso porque a velocidade é constante, ou em outras palavras, a aceleração é zero. Continuar a ler “A capacidade dos humanos de perceber velocidade e aceleração”

O efeito Starburst não é evidência de CGI

Na fotografia, o efeito starburst dá a ilusão de fontes de luz fortes em uma imagem. O efeito acontece quando a abertura da lente não é um círculo perfeito e fica mais pronunciada sob uma abertura mais estreita.

Terraplanistas frequentemente se vêem à procura de qualquer peculiaridade – não importa quão pequena ou inacreditável – para tentar “refutar” qualquer imagem que considerem inaceitável para suas causas equivocadas. Uma dessas peculiaridades é o efeito starburst. Continuar a ler “O efeito Starburst não é evidência de CGI”